Pesquisa

segunda-feira, 2 de setembro de 2013

Manga Africana no combate à obesidade

O extrato da Manga Africana foi lançado recentemente no Brasil, como um suplemento auxiliar nas dietas para emagrecimento, no combate a obesidade, e para pacientes com diabetes.

A planta é nativa do sudeste asiático e da África, produzindo frutos amarelos, ricos em fibras e sementes ricas em gorduras saudáveis.

O extrato da manga africana age inibindo o apetite, prolongando a sensação de saciedade e tem propriedades que também auxiliam na queima de gorduras, de ação lipolítica, especialmente na região abdominal, além de manter os níveis de insulina no organismo, de forma que evita o acúmulo de gordura.

Os cientista já descobriram outras aplicações para o extrato além do emagrecimento, como alivio da dor, tratamento de infecções fúngicas e bacterianas e prevenção da malária.

Recentemente foi divulgado o resultado de pesquisas com seres humanos que tomaram 300mg de extrato de manga africana, fracionada em duas vezes durante 10 semanas, demonstraram que os indivíduos perderam em média 12 quilos e o percentual de gordura foi reduzido em 6,3%, além de 16 centímetros em média, na medida da cintura. Os exames laboratoriais desses pacientes mostraram resultados positivos nos testes de leptina, adiponectina, proteína c-reativa, glicemia, colesterol LDL e colesterol total, comprovando de forma eficaz o potencial positivo das propriedades da Irvingia no organismo humano.

O extrato de Manga Africana está indicado para quem deseja fazer uma dieta de emagrecimento e no combate a obesidade, e a dose indicada é de 1 a 2 comprimidos meia hora antes das principais refeições, duas vezes ao dia, no almoço e na janta. Para obter melhores resultados deve-se manter uma dieta equilibrada e fazer exercícios físicos.

A Manga Africana ajuda a manter o peso corporal saudável devido a quatro fatores:

1. Atua diminuindo níveis de leptina, hormônio importante no controle do peso, porque promove a quebra de gordura;

2. Aumenta a adiponectina (hormônio essencial que ajuda a diminuir a resistência à insulina, bem como a saúde cardiovascular). Estudos mostraram que indivíduos que fazem uso de Manga Africana têm um aumento considerável dos níveis de adiponectina;

3. Inibe a enzima conversora de gordura chamada glicerol-3-fosfato desidrogenase, que facilita a conversão de glicose em triglicerídeos que aumentam o tamanho dos adipócitos. A Manga Africana inibe esta enzima, reduzindo assim a quantidade de glicose que é convertida em gordura no corpo;

4. Dieta: Reduz a absorção de carboidratos. Para que os carboidratos sejam totalmente absorvidos, devem ser discriminados no trato digestivo pela enzima amilase. A Manga Africana inibe a amilase e, portanto, reduz a quantidade de amido que será absorvido.

Nenhum comentário:

Postar um comentário